Relatório recomenda aumento do preço do tabaco

O relatório europeu EQUIPP, elaborado por um conjunto de especialistas, recomenda que em Portugal seja proibido fumar-se em todos os espaços públicos fechados e que o preço do tabaco seja aumentado.

"A legislação em Portugal precisa de ser 100 por cento 'smoke free', ou seja, ser decretada a proibição de fumar-se em espaços fechados públicos", disse à agência Lusa o médico Luís Rebelo, um dos três especialistas portugueses que participaram na elaboração do relatório, que é divulgado hoje.

O documento, produzido por especialistas europeus, três de cada um dos 20 países envolvidos, traça um ponto da situação do combate à dependência do tabaco na Europa e deixa recomendações.

O relatório recomenda também um aumento do preço do tabaco, algo que Luís Rebelo, que é também professor na Faculdade de Medicina de Lisboa, considera "muito dissuasor, em particular em momentos de crise e para as camadas mais jovens".

O médico lembrou que o preço de um maço de tabaco em Portugal é cerca de 15 por cento mais baixo do que a média europeia e recordou que há países, como a Noruega, em que chegam a custar onze euros.

Além do aumento do preço, o relatório recomenda também que se reverta uma percentagem do custo de cada maço para a luta contra o tabaco.

O relatório recomenda também o reembolso dos tratamentos de dependência tabágica, através da comparticipação de medicamentos, um maior envolvimento e responsabilidades dos médicos de família, mais formação para os profissionais de saúde e informação para a população.

De acordo com o Eurobarómetro 2009 sobre tabaco, 22 por cento dos inquiridos em Portugal fumavam diariamente e quatro por cento ocasionalmente. O tabagismo é responsável por 11,7 por cento das mortes em Portugal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG