Rangel e ex-mulher inquiridos nos dias 8 e 9 de fevereiro

Não será o juiz Souto Moura, do Supremo Tribunal de Justiça, a proceder ao inquérito

Os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante, constituídos arguidos esta terça-feira no âmbito da operação Lex, vão ser inquiridos no Supremo Tribunal de Justiça nos dias 8 e 9 de fevereiro, avançou hoje o Correio da Manhã.

A notícia foi entretanto confirmada pela TVI24 e a RTP3 adianta que os dois arguidos já foram notificados pelo juiz de instrução deste processo e que não será Souto Moura, antigo Procurador-Geral da República, aquele que esta terça-feira acompanhou as buscas.

Rui Rangel e Fátima Galante serão obrigatoriamente ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça por serem juízes desembargadores.

Os cinco detidos no âmbito desta operação deverão começar a ser ouvidos esta tarde os cinco detidos, entre as quais dois advogados e um oficial de justiça.

Segundo nota da PGR, seis pessoas foram constituídas arguidas, entre elas dois juízes desembargadores e um dirigente desportivo, sem citar nomes. O advogado de Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, negou que este tivesse sido constituído arguido.

"Em função da marcha do processo, pode vir a ser [arguido], embora as conexões entre o que lá está e ele [Vieira] sejam de tal forma frágeis que presumo que não será", ressalvou João Correia, o advogado do clube

Foram realizadas 33 buscas, das quais 20 domiciliárias, nomeadamente ao Sport Lisboa e Benfica, à casa do presidente do clube, Luis Filipe Vieira, às habitações dos dois juízes e três escritórios de advogados.

A 'Operação Lex' investiga suspeitas de corrupção/recebimento indevido de vantagem, branqueamento de capitais, tráfico de influências e fraude fiscal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG