PSP diz que usou meios adequados para controlar desacatos

O comando metropolitano de Lisboa da PSP garantiu hoje ter mobilizado os "meios considerados necessários e adequados" para acabar com os incidentes que ocorreram domingo no final do concerto de Anselmo Ralph, na Baía de Cascais.

Em comunicado hoje divulgado, o Cometlis de Lisboa revela que interveio cerca das 23.30 de forma a "restabelecer a ordem no local, o acesso de equipas médicas e outro auxílio julgado necessário".

O concerto de Anselmo Ralph, que encerrou no domingo as Festas do Mar, em Cascais, teve de ser interrompido na sequência de incidentes que resultaram em um ferido grave, por alegada agressão de arma branca.

Segundo o DN apurou junto da PSP de Cascais, o incidente aconteceu quando um dos feridos tropeçou na mochila de outra pessoa. Ter-se-á seguido uma troca de palavras que culminou na agressão.

Dois dos feridos - o homem na casa dos 50 anos e o enteado deste - foram conduzidos ao hospital mas não correm risco de vida.

O incidente provocou ainda dois feridos ligeiros, um dos quais é um agente da PSP que participava na operação de restabelecimento da ordem, tendo ainda sido identificadas pela polícia quatro pessoas envolvidas nos desacatos.

O concerto de Anselmo Ralph, que decorreu na Praia dos Pescadores, foi interrompido durante cerca de 15 minutos, tendo sido depois retomado, com apenas mais uma música, e seguido, embora com atrasos, do fogo-de-artifício previsto, constatou a Lusa no local.

Segundo relatos de vários órgãos de comunicação que estavam no local, foi o próprio Anselmo Ralph que decidiu interromper o concerto e pedir a intervenção da polícia, alertando para a presença de muitas crianças entre a assistência.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG