PSD acusa Governo de atrasos de um ano na atribuição de pensões de sobrevivência

Bancada social-democrata quer saber junto do ministro Vieira da Silva como vai o executivo "corrigir" estes "atrasos significativos"

O PSD acusa o Ministério do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social de "atrasos significativos", que chegam em muitos casos a um ano, "na atribuição das pensões de sobrevivência".

Segundo uma pergunta dirigida ao ministro Vieira da Silva, entregue esta quinta-feira na Assembleia da República, o grupo parlamentar social-democrata afirma ter "recebido diversas informações e reclamações que alertam para atrasos significativos na atribuição de pensões de sobrevivência, em especial no Centro Nacional de Pensões". Fonte da bancada adiantou ao DN que a média desses atrasos é de seis meses, mas já há muitos casos que atingem um ano.

Na pergunta entregue, assinada à cabeça pelo deputado Adão Silva, o PSD quer saber se "o Governo tem conhecimento dos atrasos que se verificam na atribuição e processamento das pensões de sobrevivência" e como pretende o Executivo "corrigir estes atrasos tão lesivos de milhares de cidadãos beneficiários da pensão de sobrevivência".

O gabinete do ministro tem agora um mês para responder a esta pergunta.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG