PS Chama Crato com urgência ao Parlamento

O Partido Socialista chamou o ministro da Educação e Ciência Nuno Crato ao Parlamento, "com caráter de urgência", para esclarecer "a eventual relação causa/efeito" entre o inquérito à licenciatura de Miguel Relvas e a demissão deste do cargo de ministro dos Assuntos Parlamentares. "O pedido acabou de seguir", confirmou ao DN o deputado socialista Rui Santos, que acrescentou que, a confirmar-se que Nuno Crato "escondeu" o relatório da Inspeção Geral do Ensino Superior em função de um "timming político do governo", este deverá também "retirar ilações" e demitir-se.

O deputado socialista, que integra a Comissão De Educação e Ciência, baseou as suspeitas sobre a conduta de Nuno Crato "num conjunto de factos: um dia depois da moção de censura [do PS ao governo] e um dia antes do relatório do Tribunal Constitucional, o senhor ministro Miguel Relvas demite-se. Ao fim de 60 dias continuamos sem conhecer o relatório da Universidade Lusófona", acrescentou.

Rui Santos confirmou ainda que o PS tem informações de que a auditoria ao curso de Miguel Relvas seguiu mesmo para o Ministério Público: "Tanto quanto sabemos, o senhor ministro Nuno Crato enviou quer esse relatório [da Inspecção-Geral da Educação e Ciência] quer o da Universidade Lusófona relativo ao processo de reconhecimento de competências para o Ministério Público, ao qual caberá pronunciar-se", contou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG