Professor acusado de 534 crimes de abuso sexual de crianças

Arguido dava aulas numa escola básica do concelho de Beja e aguarda julgamento em prisão preventiva

Um professor do ensino básico do concelho de Beja foi acusado pelo Ministério Público de 534 crimes de abuso sexual de crianças, um de pornografia de menores e outro crime de maus tratos. O suspeito, que se encontra em prisão preventiva, foi detido em novembro passado após uma investigação da Polícia Judiciária iniciada na sequência da denúncia dos pais de uma aluna.

Numa comunicação publicada na sua página de internet, o MP da Comarca de Beja revela os crimes de que o arguido está acusado: "No dia 21 de maio de 2018 o Ministério Público de Beja deduziu acusação, perante Tribunal Coletivo, contra um arguido a quem imputou a prática de 87 (oitenta e sete crimes) de abuso sexual de crianças, na pessoa de uma menor; 3 (três) crimes de abuso sexual de crianças na pessoa de outra menor; 375 (trezentos e setenta e cinco) crimes de abuso sexual de crianças na pessoa de uma outra menor; 69 (sessenta e nove) crimes de abuso sexual de crianças na pessoa de uma menor; um crime de pornografia de menores e um crime de maus tratos."

Quando foi detido, a Diretoria do Sul da PJ indicou que o homem era suspeito de cometer os crimes, pelo menos, desde 2015. No comunicado divulgado, a PJ apontava que"usando da ascendência que lhe conferia o seu estatuto, o detido conseguiu que as suas alunas se sujeitassem a atos de natureza sexual por ele praticados". Uma das vítimas contou aos pais e quando a PJ tomou conta do caso cedo se apercebeu que existiam mais vítimas.

De acordo com o revelado na altura, o homem convencia as crianças a ir com ele para uma sala da escola, nos intervalos da aulas. Nesse local dizia às crianças para se despirem e, acariciava os órgãos sexuais e dava beijos nas crianças. O MP fez também uma comunicação em novembro onde dava conta que o suspeito estava indiciado por 89 crimes de abuso sexual de crianças, situação que a investigação posterior veio a alterar com a descoberta de mais vítimas e mais crimes.

O arguido de 47 anos é professor numa escola básica do concelho de Beja e nas últimas eleições autárquicas integrou uma candidatura a uma união de freguesias do mesmo concelho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG