Procuradoria investiga sabotagem do Citius por dois informáticos da Polícia Judiciária

Relatório enviado à Procuradoria-Geral da República levanta suspeitas sobre dois técnicos, não agentes, da PJ.

Esses profissionais estão integrados no Instituto de Gestão Financeira e de Equipamentos da Justiça (IGFEJ) em regime de comissão de serviço de há dois anos para cá, informação confirmada ao DN por fonte da PJ.

São suspeitos do crime de sabotagem informática da plataforma informática dos tribunais Citius, entre os dias 26 de agosto e 1 de setembro. Dia da entrada em vigor do mapa judiciário.

A investigação está a cargo do diretor do gabinete de Cibercrime, Pedro Verdelho, nomeado para o cargo em 2011. Diz a Procuradoria-Geral da República, em nota enviada ao DN que "atendendo à complexidade processual e à repercussão social da matéria em investigação, nomeou, ao abrigo do nº1 do art.68º do Estatuto do Ministério Público, para assumir a direcção do inquérito o Procurador da República, Pedro Verdelho, levando ainda em consideração os especiais conhecimentos técnicos deste magistrado".

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG