Português pode ter estado dois dias à espera de socorro

O empresário português que sofreu um despiste numa zona de montanha na Galiza poderá ter estado, afinal, quase dois dias a aguardar socorro num local de difícil acesso, no fundo de uma ravina com quase dez metros.

É que o pedido de ajuda feito pelo próprio, via telemóvel e ainda encarcerado no interior da viatura, surgiu durante a manhã de segunda-feira, mas a passagem pelo local do acidente poderá ter acontecido no dia anterior, segundo suspeita a família.

Até agora pensava-se que tinha estado cerca de 30 horas encarcerado.

"Terá passado ali mais de 48 horas, duas noites seguramente. Talvez fosse dar um passeio ou fazer um piquenique, porque conhecia aquela zona, e também pelo que levava no carro", explicou esta quarta-feira o filho do português, Tomás Soeiro, à porta do hospital de Ourense. Para justificar esta tese, e numa altura em que o homem ainda permanece em coma, o filho garante que Duarte Soeiro tinha uma reunião de trabalho agendada para segunda-feira, precisamente quando ligou para a proteção civil espanhola a pedir auxílio.

Leia mais pormenores no epaper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG