Portugal pisca o olho a turistas chineses num ano de recordes

Até maio Portugal recebeu um recorde de 7,3 milhões de turistas. Um aumento de 10%. Esperam-se 21 milhões de turistas neste ano

As praias e as cidades estão cheias de turistas. E o entusiasmo dos hoteleiros e do governo é difícil de esconder - vem aí mais um ano de recordes. A maior parte dos estrangeiros que nos visitam vem da Europa e do Brasil, mas as recentes apostas em destinos mais longínquos já estão a dar frutos. Portugal tem-se feito notar na Índia, começa a olhar para a Coreia do Sul e Japão, e, desde ontem, tem uma ligação direta à China, o maior emissor de turistas do mundo - responsável, no ano passado, por 135,1 milhões de viajantes.

"O potencial [destas ligações] é muito importante do ponto de vista turístico, mas também económico. Significa muito mais oportunidades para as empresas portuguesas se aproximarem do mercado chinês, no reforço das relações económicas com empresas chinesas e reforço do potencial das relações políticas entre os países", afirmou ontem Pedro Marques, na chegada dos primeiros 260 chineses do voo da HNA a Portugal. Portugal pode ter como objetivo chegar a um milhão de turistas chineses por ano, assegurou o embaixador português em Pequim, Jorge Torres-Pereira.

A nova rota dá novo gás ao boom que vive o turismo. As taxas de ocupação são das mais altas e as companhias aéreas que operam em Portugal registam mais passageiros a cada mês. Só em junho, a TAP transportou 1,25 milhões de passageiros, mais 238 mil do que no mesmo mês do ano passado. Os últimos números do INE também confirmam o crescendo: até maio Portugal recebeu 7,3 milhões de turistas, mais 10,4%.

As receitas também não param de engordar, dando um importante contributo ao equilíbrio das contas públicas. "Portugal hoje tem à volta de 12,7 mil milhões de euros de receitas por ano provenientes do turismo. Contribuímos para a balança de pagamentos com 8,8 mil milhões de euros. Se não fosse este setor, a balança de pagamentos seria negativa", lembrou recentemente Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, em entrevista ao DN/Dinheiro Vivo e TSF.

"Neste ano, o objetivo é crescer 10% em relação a 2016. Serão mais de 21 milhões de turistas. Neste momento estamos já acima da meta estabelecida na Estratégia Turismo 2027, na qual tínhamos definido um crescimento anual de 8%", adiantou a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho. Para os próximos dez anos, Portugal espera receber 80 milhões de dormidas e atingir receitas de 26 mil milhões de euros. Isto é, duplicar as receitas que o turismo gera para a economia para que haja "crescimento em qualidade", como sublinhou o ministro da economia, Manuel Caldeira Cabral, na apresentação da Estratégia 2027.

Atrás destes números está também a criação de mais emprego. Até porque com a aposta forte em novos modelos de turismo para além do sol-e-praia, a época baixa, é aquela que mais está a crescer.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG