Populações lutam contra o fogo

O fogo voltou a Travanca de Lagos, Oliveira do Hospital. Zona de forte povoamento, vivem-se momentos de desespero para salvar os bens das chamas.

"A mata não interessa! Ai as nossas casas", grita Fernanda, 61 anos, com uma ínfima mangueira nas mãos para salvar o jardim e a casa. O fogo agiganta-se. Fernanda já viveu esta situação há dez anos. Não para enquanto fala com o DN na aldeia de Travanca de Lagos, uma das localidades ameaçadas.

O fogo de Oliveira do Hospital mobiliza 242 homens e 72 veículos e tem duas frentes ativas. O posto de comendo está em Ervedal da Beira. As ligações viárias estão cortadas. Um forte nevoeiro de fumo cobre toda a zona.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil informa na Internet que às 17:00 lavram 11 incêndios no território nacional, todos em zona de mato ou florestal, sendo os distritos de Viseu e Vila Real os mais afetados.

O fogo que lavra desde quarta-feira na serra do Caramulo, na zona de Silvares, no distrito de Viseu, está a mobilizar 368 efetivos que contam com o apoio de 111 viaturas e cinco meios aéreos, nomeadamente quatro aviões bombardeiros e um helicóptero bombardeiro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG