Polícia aposentado preso por partilhar pornografia infantil

Um ex-agente da PSP, que chegou a trabalhar no departamento de ética e disciplina do Comando de Setúbal, está em prisão preventiva, na cadeia de Évora, acusado de partilhar pornografia infantil na Internet.

O polícia, aposentado recentemente, tem 61 anos e foi detido após uma avaria num dos seus computadores. É que o informático a quem deu o equipamento para reparar viria a encontrar várias imagens e vídeos de abusos de menores decidindo denunciar o ex-agente às autoridades, segundo revelou a PJ.

De acordo com a investigação, o suspeito "possuía e partilhava" pornografia infantil com "bebés e crianças de tenra de idade", recorrendo a um sistema conhecido por "peer-to-peer", que consiste numa arquitetura de redes de computadores onde cada um dos pontos ou nós da rede funciona tanto como cliente como servidor, permitindo a partilha de serviços e dados sem a necessidade de um servidor central.

Ou seja, o homem descarregava imagens e vídeos para uma página pública, que depois ficava disponível para quem quisesse aceder, através de busca, podendo também fazer o download. "Numa pasta encontrámos acessos diversos de recolha, consulta, análise e visualização dessas imagens", sublinha fonte da PJ, revelando que além da pornografia encontrada no computador que foi a reparar, a busca domiciliária permitiu encontrar um segundo computador e suportes digitais de armazenamento "com um manancial enorme de imagens e vídeos".

O agente aposentado foi detido ao fim de três dias, admitindo a investigação que o homem não será o autor de nenhuma das fotos nem dos vídeos, limitando-se a descarregar os ficheiros e a partilhá-los online, estando indiciado pelo crime de pornografia de menores agravado.

A detenção ocorreu na semana passada, tendo o suspeito sido sujeito à medida de coação mais gravosa - prisão preventiva - ficando a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Évora, destinado a elementos das forças de segurança e outros reclusos que necessitem de especial proteção, como políticos, magistrados, advogados e jornalistas.

A detenção deste antigo agente, que reside com a família em Setúbal, apanhou de surpresa os colegas com quem trabalhou em Setúbal durante vários anos. Uma fonte policial admitiu ao DN que "ninguém espera uma notícia destas de alguém que trabalhava no departamento de ética e disciplina da nossa instituição", garantindo que o caso tem sido muito comentado no comando sadino, onde "havia boas referências" do agente como profissional.

O suspeito é o único detido neste processo, sublinha a PJ. Apesar de haver outros envolvidos que acederam às imagens, a investigação admite que é difícil encontrar essas pessoas, uma vez que a partilha não é feita de forma direta.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG