PJ apreende 304 aves exóticas em Portugal

A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu 304 aves exóticas em Portugal no âmbito do combate ao tráfico de espécies protegidas e constituiu 17 arguidos, detendo um deles por posse de arma ilegal, informou hoje fonte policial.

Foram apreendidas "46 aves de espécies psitacídeos" (tipo araras, papagaios, catatuas), no valor unitário entre os dois mil e os seis mil euros, protegidas pela Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES), indica a PJ, em comunicado de imprensa.

No total das duas operações no âmbito do combate ao tráfico de espécies protegidas, a PJ, em conjunto com o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, apreendeu também 217 aves da espécie psitacídeos, protegidas pelo anexo II-B da CITES e 41 aves de espécie autóctones, também protegidas.

Durante as operações por quase todo o território nacional foram também constituídos 17 arguidos, apreendidas quatro armas de fogo e 100 de munições, acrescentou a Judiciária, referindo que um dos arguidos foi detido "em flagrante delito por posse ilegal de arma".

Os arguidos dedicam-se, de forma organizada e recorrente, ao contrabando de aves exóticas e à falsificação da respetiva documentação de identificação e legalização desses papéis, explicam as autoridades.

As autoridades contaram com a colaboração do Parque Biológico de Gaia e do Zoo da Maia para realizarem estas operações.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG