PGR deixa cair sabotagem no Citius e investiga ocultação de informação

Os dois técnicos acusados pela ministra Paula Teixeira da Cruz de estarem na origem do crash do Citius foram afastados da comissão de serviço.

A ministra da Justiça já demitiu os dois técnicos superiores da Polícia Judiciária (PJ) que acusa de serem os responsáveis pelo crash do Citius. Os dois elementos estão a ser investigados pelo gabinete de cibercrime da Procuradoria-Geral da República (PGR), liderado por Pedro Verdelho, por "omissão de informação" à tutela relativamente à plataforma informática de suporte aos tribunais, e não por sabotagem informática, como denunciou Paula Teixeira da Cruz à PGR.

Ao que o DN apurou, a ministra emitiu um despacho de não renovação da comissão de serviço que os dois mantinham desde 2012 com o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), tutelado pelo Ministério da Justiça (MJ). Os factos em causa remontam às vésperas da entrada em vigor do novo mapa judiciário (de 26 de agosto a 1 de setembro), dias em que a transição eletrónica dos 3,5 milhões de processos correu mal, ficando a maioria indisponível durante 44 dias. A investigação fica assim "controlada" por Joana Marques Vidal, já que este gabinete de cibercrime depende da PGR.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG