Passos Coelho enaltece o "homem de fé, de tolerância"

Primeiro-ministro diz que a Igreja e o País sentirão a falta do cardeal patriarca emérito de Lisboa

O primeiro-ministro lamentou, hoje, a morte de D. José Policarpo, considerando que o cardeal patriarca emérito de Lisboa " foi um homem de fé, de tolerância e de serviço à comunidade e à Igreja Católica". Numa declaração enviada esta noite ao DN pelo seu gabinete, Passos Coelho acrescentou ainda que "a Igreja e o País sentirão a sua falta na defesa dos valores cristãos, do auxílio aos mais desprotegidos e do diálogo inter-religioso".

Para o primeiro-ministro, D. José Policarpo "foi um homem de reflexão não só dos grandes temas próprios da teologia cristã, mas também dos grandes desafios civilizacionais. Com a força da sua fé, foi uma voz de alerta para os dilemas da sociedade portuguesa e uma voz de exortação para a vivência de cada um segundo os imperativos da bondade e da solidariedade"

"Foi uma figura marcante no crescimento da Universidade Católica Portuguesa, de que foi Reitor e Magno Chanceler assim como professor dedicado. Quero transmitir à família enlutada e a toda a comunidade católica que estou certo de que este sentimento de perda é partilhado por todo o País", finalizou Pedro Passos Coelho

Mais Notícias

Outras Notícias GMG