Padre Fontes esconjura "males" no Halloween de Vilar de Perdizes

O padre António Fontes vai esconjurar com a queimada os "males do corpo e da alma" a quem for a Vilar de Perdizes festejar a noite de `Halloween".

À luz das velas, bruxas, diabos, personagens bizarras, mortos-vivos, trasgos, duendes e mafarricos vão desfilar pelas ruas de Vilar de Perdizes, Montalegre, para pregar partidas e "sustos de morte" aos visitantes.

O ponto alto da noite de `Halloween" é a preparação da queimada, licor feito à base de aguardente, açúcar, maçã e canela, pelo padre António Fontes, conhecido por "Dom Bruxo", com efeitos alegadamente esconjurativos de todos os males deste e do outro mundo.

Antes de servir a queimada - "mistela abençoada" - o "Dom Bruxo" faz o esconjuro da bebida, recitando a ladainha "mochos, corujas, sapos e bruxas, demónios, trasgos e diabos, espíritos das enevoadas veigas", livrando-a de maus-olhados, feitiços, invejas e bruxedos.

O sacerdote católico explicou hoje à Lusa que a queimada é uma brincadeira, uma fantasia e um entretenimento, relembrando ser "anti bruxo, anti magia e anti feitiçaria".

"O objetivo desta festividade é libertar as pessoas do stresse do dia-a-dia e diverti-las", disse.

Os restaurantes, decorados com motivos ligados ao azar, têm preparado um jantar infernal com animação para os convivas.

As casas da aldeia estarão também enfeitadas com teias de aranhas, abóboras, panos negros ou vassouras de bruxa, afirmou o padre.

À volta da fogueira, no centro da aldeia, haverá ainda um baile com bruxinhas vestidas com capas negras, chapéus pontiagudos e vassouras.

A Associação de Defesa do Património de Vilar de Perdizes, organizadora do evento, irá ainda atribuir um prémio aos três melhores decoradores de abóboras.

O objetivo é atrair gente de norte a sul do país, potenciar a economia local, divulgar os produtos tradicionais e a cultura do Barroso, frisou a organização.

Mais Notícias