OSCOT: José Manuel Anes deverá ser hoje eleito presidente

José Manuel Anes deverá ser eleito hoje presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo (OSCOT). No programa eleitoral da lista única que apresenta, Anes anuncia que pretende candidatar o OSCOT “ao seu reconhecimento como Instituição de Utilidade Pública”.

José Manuel Anes lidera a única lista candidata às eleições para os corpos sociais do OSCOT, depois de o social-democrata Jorge Bacelar Gouveia ter pedido demissão do cargo alegando trabalho partidário e de deputado na Assembleia da República.

O primeiro objectivo do programa eleitoral apresentado por José Manuel Anes é preparar “a candidatura do OSCOT tendente ao seu reconhecimento como Instituição de Utilidade Pública”. O candidato anuncia também a intenção de remodelar o site da instituição e criar outras ferramentas electrónicas para aumentar a “notoriedade” do OSCOT e promover “uma intensa e oportuna participação pública”.

Outras das medidas apresentadas no programa são o “aprofundamento das relações com as Universidades Portuguesas” e a organização de vários debates e seminários com temas como o crime organizado, o acesso às armas, o terrorismo e a protecção civil.

"Somos uma organização da sociedade civil, estamos aqui para ajudar. Também queremos ajudar nessas áreas que não estávamos muito habituados a explorar", afirmou Anes em entrevista recente à Lusa, sublinhando que o OSCOT quer dar um "contributo" não só na área da criminalidade, mas também na protecção civil, que é igualmente um "problema de segurança".

Anes anunciou ainda que o OSCOT vai organizar, em Março, um primeiro colóquio sobre criminalidade organizada na CPLP e, em Setembro, uma outra iniciativa sobre protecção civil e que pretende lançar um “prémio monetário anual para trabalhos sobre as matérias em observação do OSCOT”.

O tratamento estatístico de dados sobre criminalidade é também outra das actividades que a lista liderada por José Manuel Anes quer apostar nos próximos três anos. "Vamos pedir dados à PSP, GNR, Polícia Judiciária e Ministério da Administração Interna para fornecer estatísticas para que o OSCOT possa fazer uma avaliação", afirmou o candidato.

A nível financeiro, o objectivo desta lista é reorganizar a contabilidade e a cobrança de quotas e obter “novas receitas”. O programa eleitoral de José Manuel Anes também pretende reformar os estatutos do Observatório e criar a figura de um presidente honorário, bem como quatro categorias diferentes de sócios: fundadores, efectivos, institucionais e correspondentes, cujas quotas terão montantes fixados distintos.

José Manuel Anes é fundador do OSCOT juntamente com Rui Pereira, actual ministro da Administração Interna e é especialista em assuntos de segurança e terrorismo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG