Ordem dos Médicos abriu inquérito disciplinar a médico dos Comandos

Em causa está a atuação do capitão Miguel Onofre Domingos, médico dos Comandos

A Ordem dos Médicos abriu um inquérito disciplinar para averiguar o envolvimento do médico escalado para os exercícios dos Comando no domingo em que um militar morreu e outros tiveram de ser internados - um segundo militar viria a morrer uma semana mais tarde.

De acordo com o bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, o inquérito disciplinar foi aberto com o objetivo de apurar "a envolvência" de um médico durante o treino do 127.º Curso de Comandos na região de Alcochete, no distrito de Setúbal, que começou a 04 de setembro.

Em causa está a atuação do capitão Miguel Onofre Domingos, médico dos Comandos, que, segundo a edição de hoje do Correio da Manhã, terá ordenado a quatro militares que tinham desfalecido para rastejarem até à ambulância.

O médico terá depois saído durante duas horas, "deixando 25 vítimas - que considerou não urgentes - na tenda com dois enfermeiros", segundo o jornal.

Para esta tarde está agendado o interrogatório pelo Ministério Público de dois militares, no âmbito do inquérito onde se investigam as circunstâncias do treino que levaram à morte de alunos do curso de Comandos, segundo informou a Procuradoria-Geral da República (PGR).

O Exército abriu dois processos disciplinares a militares por "indícios da prática de infração disciplinar" no 127.º curso de Comandos.

Fonte do Exército disse à Lusa que os militares que foram alvo de processos disciplinares por "indícios de prática de infração" no 127.º curso de Comandos mantêm-se ao serviço e em funções no curso.

O processo de averiguações às circunstâncias da morte de dois instruendos no início do 127.º curso de Comandos, em setembro, "é de natureza secreta até à acusação", segundo o RDM, frisou o porta-voz do Exército, na resposta enviada à Lusa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG