Orçamento do Estado pode criar "milhares de mendigos"

O presidente da Filos, Instituição Particular de Solidariedade Social, disse hoje, no Porto, estar "preocupado" com os "danos colaterais" do Orçamento do Estado para 2013, por considerar que vai colocar "milhares de pessoas em situação de mendigos".

"Não estou disposto a adjetivar o orçamento, toda a gente já o adjetivou, é um campeonato dos melhores adjetivos. Só estou preocupado com os danos colaterais e, neste caso, os danos colaterais deste orçamento vão colocar aqui no Porto milhares de pessoas em situação de mendigos", afirmou José Maia.

O presidente da Filos, que falava aos jornalistas à margem da assinatura de um protocolo de colaboração com a Junta de Freguesia de Paranhos, no âmbito de um projeto de teleassistência a idosos, disse esperar que não haja cortes no Complemento Solidário de Idosos (CSI), pois, caso contrário, surgirá "muita gente a passar fome".

"Não sei o que se vai passar, mas a cortar-se o CSI, atenção, que vamos ter milhares de idosos, só aqui em Paranhos, a passar fome", frisou.

José Maia apelou, por isso, ao envolvimento da comunidade para ajudar os mais carenciados, porque "só se consegue contrariar estas dificuldades ao nível da rua, da vizinhança".

"Devemos fazer da nossa rua uma espécie de condomínio para nos ajudarmos uns aos outros".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG