Benfica nega que Luís Filipe Vieira seja arguido na Operação Lex

Comunicado da Procuradoria Geral da República fala apenas em "dirigente desportivo". Águias dizem não ser o seu presidente

Cinco pessoas detidas e a constituição de outros seis arguidos, entre eles "dois juízes desembargadores e um dirigente desportivo". É este o resultado da chamada operação "Lex", confirmou esta terça-feira a Procuradoria-Geral da República, em comunicado. Os juízes são Rui Rangel e Fátima Galante.

Quanto ao "dirigente desportivo", a Procuradoria não explicita a sua identidade. Ainda que, num primeiro momento, a agência Lusa e praticamente todos os media nacionais tenham concluído tratar-se de Luís Filipe Vieira, o Benfica continuava, ao fim do dia, a informar que o seu presidente não tinha sido constituído arguido.

"Entre os detidos estão dois advogados e um oficial de justiça, que serão presentes ao Conselheiro do STJ (Supremo Tribunal de Justiça) com funções de juiz de instrução para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação", refere o referido comunicado divulgado pela procuradoria. O texto esclarece ainda que segundo o Estatuto dos Magistrados Judiciais "a detenção de magistrados judiciais só é possível em flagrante delito".

A Procuradoria diz também que foram feitas buscas em vários locais, na zona da Grande Lisboa e no Algarve, incluindo no Tribunal da Relação de Lisboa, em empresas, em escritórios de advogados e também em domicílios.

As diligências de hoje foram feitas no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público e com o apoio de magistrados do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP). Em causa estão suspeitas de crimes de tráfico de influência, de corrupção/recebimento indevido de vantagem, de branqueamento e de fraude fiscal.

A Polícia Judiciaria (PJ) já tinha anunciado ao início da tarde de hoje a detenção de cinco pessoas e a constituição de vários arguidos numa operação a nível nacional denominada "Lex", tendo feito 33 buscas.

Fonte da PJ disse que as buscas incluíram a casa e o gabinete do juiz desembargador do Tribunal da Relação de Lisboa Rui Rangel, a SAD do Benfica, a casa do presidente do clube e residências da ex-mulher de Rui Rangel, a juíza Fátima Galante, e do advogado José Sousa Martins e do filho. Com Lusa

Notícia atualizada às 21:45. Inclui a posição do Benfica relativamente ao seu presidente

Mais Notícias

Outras Notícias GMG