Objetivo para este ano é ter 400 milhões de euros de proveitos

Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte quer apostar na investigação e internacionalização. Está previsto um plano de investimento de 90 milhões

Os objetivos para este ano do conselho de administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte, que inclui Santa Maria e Pulido Valente, é conseguir proveitos no valor de 400 milhões de euros. A maior parte do valor, admite o presidente Carlos Martins, será através do contrato-programa, mas haverá aposta na venda de serviços. Prevê um plano de investimento de 90 milhões de euros, perto de metade através de fundos comunitários. No Pulido Valente mantém-se a transformação em Parque Saúde. Às criticas de profissionais e doentes diz que não houve redução de serviços.

"Para este ano temos de conseguir proveitos de 400 milhões de euros. Sabemos que grande parte será o contrato-programa e adendas", mas fará parte do trabalho para chegar a este valor cobrar créditos, terminar a renegociação do plano de equilíbrio financeiro e ter atividade diversificada: "vender serviços a outras instituições e ter atratividade para conseguir outras atividades na área da investigação e internacionalização", diz.

Carlos Martins tem previsto um plano de investimento de 90 milhões de euros, 40 milhões dos quais através de candidaturas a fundos comunitários. "Entregámos uma candidatura de eficiência energética no valor 15 milhões de euros, outra na área das tecnologias e renovação de equipamento e equipamento de ponta de 20 milhões de euros. Temos mais uma de tecnologia de informação de 5 milhões de euros. Já temos uma candidatura aprovada para a Faculdade no projeto do Centro de Simulação Avançado. A maior parte dos pontos do plano já tem projetos e candidaturas comunitárias", diz, salientando a articulação que tem sido feita com outras unidades como IPO, Centro Hospitalar Lisboa Central ou Instituto de Medicina Molecular na utilização de equipamentos pesados.

"Temos um conjunto de instituições que vão investir no Pulido Valente", refere ainda o responsável, sobre a transformação do hospital em Parque Saúde: "No conjunto das intervenções do Instituto Português do Sangue e Transplantação, SUCH - Serviço de Utilização Comum dos Hospitais, Administração Regional de Saúde, Santa Casa da Misericórdia, Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências e ministério, vamos ter 25 milhões de investimento".

Tem havido críticas de profissionais a algumas mudanças no Pulido Valente e um grupo de doentes do hospital de dia de oncologia de pneumologia fizeram uma petição contra a mudança de instalações. Carlos Martins refuta as criticas: "Não houve redução da capacidade nem cortes. Este conselho criou o departamento do tórax e o serviço de cirurgia torácica, o hospital de dia está no dobro da área que tinha, com proximidade do serviço de pneumologia, passamos a ter consultas de psiquiatria e pedopsiquiatria no Pulido Valente", afirma.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG