Novo chefe da Marinha diz que ramo tem de viver com o orçamento aprovado

Almirante Silva Ribeiro foi empossado este sábado no cargo de chefe do Estado-Maior da Marinha.

A Marinha "não é exceção" às dificuldades financeiras que Portugal vive e "tem de trabalhar" com o orçamento "que o país determina", disse este sábado o novo chefe do Estado-Maior do ramo.

O almirante Silva Ribeiro falava aos jornalistas no final da cerimónia em que o Presidente da República lhe deu posse como sucessor do almirante Macieira Fragoso, que dias antes de deixar funções lamentou os sucessivos "orçamentos abaixo das necessidades" e que se traduzem em "consequências muito negativas" ao nível da operacionalidade.

Silva Ribeiro, que assume igualmente as funções civis de Autoridade Marítima Nacional "por inerência" do cargo militar, reconheceu que "as circunstâncias suscitam uma reflexão séria" sobre as medidas a adotar devido aos constrangimentos financeiros.

Contudo, sublinhou, o almirante deu o exemplo do seu mandato anterior como diretor-geral da Autoridade Marítima e comandante-geral da Polícia Marítima: trabalhar "com os recursos" existentes e encontrar soluções para cumprir as missões.

O almirante Silva Ribeiro - que dá a conhecer segunda-feira as suas prioridades para a Marinha - disse ainda ter "confiança e esperança" nos efetivos da Marinha para mostrar que "Portugal pode continuar" a contar com o ramo.

Mais Notícias