Nove em cada 100 bebés portugueses são prematuros

A taxa no nosso país situa-se acima da média europeia (7,7 por cento), segundo dados hoje revelados em Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, a responsável do serviço de neonatologia da Maternidade Alfredo da Costa (MAC), Teresa Tomé, referiu que em 2009 em cada 100 nascimentos houve 8,8 prematuros. A taxa europeia de bebés que nasce antes das 37 semanas é de 7,7 por cento e Portugal tinha assumido como meta para 2010 descer a taxa de prematuridade para 4,9 por cento.

A ministra da Saúde, Ana Jorge, admite que esta foi uma meta demasiado ambiciosa e pouco realista. "Era uma meta quase impossível de atingir. Teríamos de estabelecer uma meta ambiciosa mas concretizável", afirmou à agência Lusa no final de uma cerimónia para assinalar o mês de sensibilização para a prematuridade.

Para a ministra da Saúde, seria já um bom indicador se Portugal conseguisse ter dentro de dois ou três anos uma taxa de prematuridade mais reduzida do que a média europeia. Teresa Tomé explica que vários são os factores que levam a este aumento da taxa de prematuridade, que em Portugal passou de cinco por cento há 30 anos para os actuais 8,8 por cento.

Entre as causas para o aumento dos bebés prematuros podem estar stress, gravidez antes dos 18 ou depois dos 35 anos e também falta de acompanhamento adequado da gestação.


Mais Notícias

Outras Notícias GMG