Procuravam cogumelos e encontraram ossadas humanas

Um grupo de populares encontrou, durante uma saída para o campo para apanha de cogumelos, ossadas humanas que as autoridades acreditam poder ser de um idoso desaparecido, em maio, na zona de Quintanilha, em Bragança.

Os restos mortais encontravam-se num local ermo, nas imediações da aldeia de Quintanilha, que foram percorridas, na altura do desaparecimento, durante vários dias de buscas, por equipas da GNR, bombeiros e cães pisteiros, sem sucesso.

Quase meio ano depois, a procura de cogumelos silvestres, que ocorre nesta época do ano no Nordeste Transmontano, pôs a descoberto os restos mortais, com indícios que associam o caso ao idoso desaparecido.

De acordo com informação avançada à Lusa pelas Relações Públicas do Comando Distrital da GNR de Bragança, o alerta foi na terça-feira, por volta das 13:00, por populares que tinham ido para o campo à procura de cogumelos.

O reconhecimento direto foi impossível, segundo a fonte, devido ao "adiantado estado de decomposição", mas foram também encontrados, nas imediações das ossadas, restos de roupas identificadas como pertencentes ao idoso.

O corpo foi recolhido e encaminhado para o Instituto de Medicina Legal de Bragança, onde estão ainda a ser realizados os exames necessários à identificação e ao apuramento da causa da morte.

O idoso, com 88 anos, era utente do lar de Quintanilha e desapareceu a 23 de maio depois de um passeio com mais três utentes do lar, dos quais se desencontrou. Seguiram-se vários dias de buscas sem sucesso.

A GNR de Bragança registou, em menos de cinco anos, o desaparecimento de 23 idosos, três dos quais nunca foram encontrados e seis apareceram sem vida.

A confirmar-se que os restos mortais encontrados em Quintanilha são do idoso desaparecido em maio, estas estatísticas alteram-se para 23 desaparecimentos, a maioria dos quais foram encontrados bem (14), sete sem vida e dois permanecem sem rasto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG