Defensor Moura alvo de críticas de deputado do PS

Jorge Fão diz que a atitude do autarca prejudica o distrito

A decisão do autarca socialista de Viana do Castelo, Defensor Moura, de não aderir a comunidade urbana única a constituir para o distrito está a gerar mal- estar junto dos dirigentes locais e a voz mais recente vem de um deputado do mesmo partido, que acusa o "erro político grave" desta exclusão.

"Não podemos voltar ao tempo, mesmo noutro contexto, do orgulhosamente só", afirmou Jorge Fão, deputado do partido eleito por Viana do Castelo, num artigo de opinião numa estação de rádio local. "Viana do Castelo não pode amuar e amuralhar-se em relação aos restantes concelhos do distrito", acrescentou. Tudo porque Defensor Moura, o socialista que desde 1993 lidera a Câmara de Viana, não aceita a proporcionalidade imposta pela nova legislação de associativismo municipal e, aceitando a proposta dos vereadores "laranja", decidiu convocar um referendo popular para discutir essa adesão. Jorge Fão, deputado e um dos influentes dirigentes socialistas locais, é mais uma das vozes a criticar a posição assumida por Defensor Moura, tanto mais que o partido "controla" sete das dez autarquias do distrito, as quais deveriam formar a comunidade única.

Jorge Fão afirma que esta decisão de "auto-afastamento" de Viana do Castelo acaba por tirar peso reivindicativo, já que o município da capital de distrito representa 90 mil dos 250 mil habitantes. Este cenário é a parte mais visível do que muitos dizem ser um conflito pessoal que dura há mais de uma década entre os socialistas Defensor Moura e Rui Solheiro. Este último líder da Federação Distrital do PS e presidente da Câmara Municipal de Melgaço e que através dos municípios vizinhos facilmente controlaria os destinos da futura associação.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG