Bispo do Porto diz compreender professores mas apela para consciência de todos

O bispo do Porto e futuro cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, disse hoje compreender a luta e os protestos dos professores, mas deixou um apelo à classe docente e sindicatos para terem consciência de todos os fatores.

"Acompanho com muita atenção e compreendo que para muitos professores, e até para a generalidade da classe, este tempo seja um tempo de preocupação, mas temos de olhar isto em termos de sociedade e em termos de bem comum, e portanto o apelo que eu faço é às consciências", declarou Manuel Clemente.

À margem da cerimónia da bênção da primeira pedra de residência para adultos e jovens com deficiência que vai ser criada no Porto e que deverá abrir em 2015, o futuro cardeal patriarca de Lisboa fez um apelo aos professores, às organizações sindicais e às famílias para "manterem a calma, o discernimento e terem todos os fatores em conta".

"Faço um apelo para que tenham em conta todos os fatores. Com certeza que querem ver os seus direitos defendidos, mas também os direitos das famílias, os direitos dos alunos, os direitos dos jovens que neste momento com uma ansiedade acrescida" devem ser tidos em conta, reiterou Manuel Clemente, no final de um dos seus últimos atos públicos ao serviço da diocese do Porto.

A primeira pedra para iniciar a obra do lar residencial para jovens e idosos deficientes foi hoje benzida por Manuel Clemente.

O novo projeto social vai ter capacidade para acolher 17 utentes em lar e mais 30 utentes em Centro de Atividades Ocupacionais.

A obra, que vai nascer na Rua Abade de Baçal, no centro do Porto, representa um investimento na ordem dos 800 mil euros e deverá estar concluída em 2015, disse à Lusa o diretor de serviços da obra social de Nossa Senhora da Boa Viagem, Casimiro Gomes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG