Absolvido suspeito de ter abusado sexualmente de sobrinha

O tribunal de Ílhavo absolveu na quarta-feira um homem, de 42 anos, que estava acusado de ter abusado sexualmente de uma sobrinha, quando tinha dez anos, informou hoje a sua advogada.

O arguido, que está atualmente em prisão preventiva a aguardar julgamento pelo homicídio de um irmão, a quem terá ateado fogo, na sua residência, na Gafanha da Nazaré, Ílhavo, estava acusado de dois crimes de abuso sexual de crianças, na forma agravada.

Em declarações à Lusa, a advogada Telma Rocha, que defende o arguido, disse que o tribunal deu como não provado os abusos, que o Ministério Público imputava ao seu cliente e que teriam sido praticados há cerca de oito anos.

Segundo a mesma fonte, na leitura do acórdão, o juiz presidente do coletivo que julgou o caso, acentuou as "incoerências" nos depoimentos prestados pela ofendida, atualmente com 18 anos.

"Quando apresentou queixa, há cerca de oito meses, a rapariga disse que os abusos ocorreram todos os dias durante um mês e, agora, em tribunal disse que se recordava apenas de duas vezes e que tinha sido só tentativa", afirmou a causídica.

Durante o julgamento, que decorreu à porta fechada, por exclusão de publicidade, o arguido nunca admitiu a prática de abusos sexuais de menores, reclamando inocência.

A suposta vítima, só apresentou queixa do caso em 2012 quando atingiu a maioridade, por, alegadamente, temer represálias do tio.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG