"Muito obrigado", disse Costa. Seis minutos para oito novos governantes

Primeiro-ministro mudou a sua equipa pela terceira vez, agora com uma remodelação que mexe com seis ministérios.

Seis minutos e a posse dos oito novos secretários de Estado estava feita, numa cerimónia que aconteceu esta sexta-feira ao fim da tarde na Sala dos Embaixadores, no Palácio de Belém, em Lisboa. Terminados os cumprimentos aos governantes, o primeiro-ministro, António Costa, dirigiu-se diretamente a Margarida Marques, a agora ex-secretária de Estado dos Assuntos Europeus, para a saudar com dois beijinhos e um sonoro "muito obrigado", agradecimento que repetiria depois aos outros governantes exonerados.

Também o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, dirigiu-se a este grupo, pouco antes de António Costa, para deixar um "cumprimento especial" - e disse-o a meia voz - a Margarida Marques. Ficava selada uma paz socialista depois da saída inesperada, confessada pela própria, do Governo.

Numa cerimónia que não tem lugar para discursos, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apenas se fez ouvir a cada um dos novos governantes, dispensando um abraço especial a Tiago Antunes, secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros. E sorriu, juntando as mãos, para os exonerados. Dos que saíram só faltou à chamada Fernando Rocha Andrade, o ex-secretário de Estados dos Assuntos Fiscais (e três dos 17 ministros).

Já António Costa deixou dois fortes e audíveis abraços a quem, em 2015, esteve do outro lado da barricada segurista: Eurico Brilhante Dias e Miguel Freitas, agora secretários de Estado da Internacionalização e das Florestas e Desenvolvimento Rural. E, à saída, reservou uma breve declaração aos jornalistas, para agradecer aos que saem e aos que entram. "Só queria dizer duas palavras: primeiro, de agradecimento aos senhores e senhoras secretários de Estado que hoje cessaram funções, pelo contributo que deram ao governo e aos portugueses. E uma segunda palavra aos que hoje iniciam funções desejando, naturalmente, que tenham as maiores felicidades no exercício dessas funções para executarmos bem o programa do Governo."

Os oito secretários de Estado que tomaram posse - naquela que é a maior e terceira alteração do Executivo socialista - mexem com a composição de seis ministérios. Para além dos já referidos Eurico Dias e Miguel Freitas, tomaram posse Ana Paula Zacarias (para os Assuntos Europeus), Maria de Fátima Fonseca (para a Administração e Emprego Público), António Mendonça Mendes (para os Assuntos Fiscais), Ana Teresa Lehmann (que entra para a Indústria) e Ana Pinho (que tutela a nova Secretaria de Estado da Habitação).

Quem está de regresso à Assembleia da República é Margarida Marques, como revelou num post publicado na sua página do Facebook. "Depois deste interregno no Governo, voltarei a ocupar o lugar de deputada para o qual fui eleita."

No texto, Margarida Marques diz que cessa funções na pasta dos Assuntos Europeus "com a certeza do dever cumprido". "Foi um ciclo ao qual me dediquei com enorme empenhamento político e pessoal, porque acredito no papel da União Europeia e acredito no papel ativo e influente de Portugal na União Europeia", escreveu.

No deve e haver que deixou do seu trabalho, Margarida Marques registou que sempre entendeu "que a obtenção de resultados na política se faz através do diálogo, da criação de redes, da colaboração permanente entre pessoas e instituições". E puxou dos seus galões: "Para isso, é essencial ter uma rede de contactos e conhecer bem os contextos das instituições. Nesse sentido, os 20 anos em que trabalhei na Comissão Europeia ajudaram-me a obter resultados."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG