MP pede condenação de Carolina Salgado

O Ministério Público pediu hoje a condenação, a uma pena de multa ou trabalho a favor da comunidade, de Carolina Salgado acusada de difamação a Pinto da Costa.

A antiga companheira do líder portista responde agora pelo crime de difamação nos juízos criminais do Porto por, numa entrevista alegadamente concedida ao jornal Sol em 2006, ter imputado a Pinto da Costa a participação nas agressões ao ex-vereador de Gondomar Ricardo Bexiga. A leitura da sentença foi também hoje marcada para dia 22.

Na sessão de hoje, Carolina Salgado negou ter dado consentimento para a entrevista com a jornalista Felícia Cabrita e que esta agiu de uma forma "ardilosa".

Na entrevista publicada na revista Tabu (parte integrante do semanário Sol), de 11 de Novembro de 2006, Carolina Salgado afirmou que as agressões a Ricardo Bexiga, em 25 de Janeiro de 2005, no parque de estacionamento da Alfândega do Porto, foram perpetradas a mando de Jorge Nuno Pinto da Costa.

"Para mim foi uma conversa. Não dei permissão para gravar", explicou a arguida, sem negar, porém, que referiu aquele episódio à jornalista.

Carolina Salgado defendeu-se dizendo ter "ingenuamente confiado" em Felícia Cabrita mas que "nunca" teve intenção de ofender Pinto da Costa.

A jornalista, que hoje prestou também declarações no tribunal, salientou que Carolina Salgado sabia que a conversa em causa era uma entrevista.

Nas alegações finais, o Ministério Público pediu a condenação da arguida, garantindo ter ficado demonstrado que Carolina "imputou a alguém [Pinto da Costa] a participação num ilícito criminal" numa entrevista para um meio de comunicação, o que é "susceptível de atingir a honra", pelo que se mostram "altas" as exigências de prevenção geral.

Na pena a aplicar a Carolina Salgado, que pode ser de prisão até dois anos ou multa não inferior a 120 dias, a procuradora arguiu que a execução de uma pena de prisão "poderá não ser necessária" pelo que deverá ser "substituída por multa ou trabalho a favor da comunidade".

Também o advogado do assistente Pinto da Costa alegou por uma pena de trabalho a favor da comunidade.

A defesa de Carolina Salgado pediu a sua absolvição, justificando que a arguida "estava fragilizada e contou [a Felícia Cabrita] factos que não deveria" e que "em momento algum consentiu que este assunto [agressão a Bexiga] fosse publicado no jornal".

A leitura da sentença ficou marcada para as 14:00 de 22 de outubro nos juízos criminais do Porto.

A 02 de Julho Carolina foi absolvida de um crime de difamação a Pinto da Costa de que estava acusada por ter afirmado, perante vários meios de comunicação, ter sido alvo de agressões do líder portista que não ficaram provadas.

No mesmo dia foi condenada por difamação agravada a Lourenço Pinto, um dos cinco crimes de que estava acusada num julgamento de seis processos que a opunha a Pinto da Costa.


Mais Notícias

Outras Notícias GMG