Motorista está "emocionalmente muito afetado"

O motorista do autocarro que se despistou no domingo, na Sertã, provocando 11 mortes, é um dos cinco feridos internados no Hospital de Castelo Branco e está "emocionalmente muito afetado", disse hoje a presidente da Câmara de Portalegre.

Adelaide Teixeira reuniu-se hoje de manhã com o conselho de administração daquela unidade local de saúde e visitou depois os feridos, todos residentes no concelho de Portalegre, tal como a maioria das vítimas do acidente.

"Estão conscientes e estáveis", mas "psicologicamente em baixo", referiu aos jornalistas, após a visita.

O motorista, um dos feridos, "está emocionalmente muito afetado", descreveu Adelaide Teixeira, depois de conversar com ele.

No entanto, o condutor não falou de nenhum aspeto do acidente, nem a autarca fez "qualquer tipo de pergunta nesse sentido", "como é óbvio", sublinhou Adelaide Teixeira, atendendo à situação psicológica delicada em que as vítimas se encontram.

Os outros passageiros internados perguntaram "por algumas pessoas que iam com eles", mas estas questões obrigam "a uma resposta mais trabalhada", concluiu.

No Hospital Amato Lusitano, em Castelo Branco, estão cinco feridos com mais de 47 anos, com fraturas ósseas e traumatismos torácicos e abdominais, referiu a diretora clínica Rita Resende.

Duas mulheres e um homem estão no serviço de observação, enquanto outro homem e outra mulher se encontram no serviço de cirurgia, acrescentou.

Apesar de estarem estáveis e conscientes, não há previsão de alta para nenhum deles: "Não foram transferidos porque têm traumatismos que têm que ser vigiados", sendo que "já fizeram exames, vão repeti-los e depois os clínicos decidirão".

Os feridos estão a ser acompanhados por uma equipa de psicólogos, mas "não é fácil gerir uma situação destas", destacou Rita Resende.

Todos estão ainda "a interiorizar a situação", concluiu.

O Hospital de Castelo Branco foi hoje reforçado com uma equipa de seis pessoas do Instituto Nacional de Medicina Leal (INML) para apoiarem os médicos da unidade.

O presidente do INML, Duarte Nuno Vieira, faz parte da equipa e explicou à Lusa que o objetivo é realizar até ao fim do dia as autópsias de dez das vítimas do acidente cujos corpos se encontram no hospital albicastrense.

O corpo de outra das vítimas encontra-se nos hospitais de Coimbra.

Onze pessoas morreram no domingo e 32 ficaram feridas num despiste do autocarro onde seguiam, que caiu numa ravina cerca das 08:30, no nó de acesso do IC8 ao Carvalhal, na Sertã, distrito de Castelo Branco.

O autocarro, de matrícula espanhola, transportava um grupo de 43 pessoas, incluindo sete crianças, que iam numa excursão de autocarro a Santa Maria da Feira.

Todas as vítimas mortais eram adultos, com idades compreendidas entre os 50 e os 70 anos.

Fonte do gabinete de comunicação da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) disse à Lusa que no Hospital de Portalegre estão internados quatro feridos na unidade de cirurgia e um em ortopedia, todos eles estáveis.

Nas últimas horas cinco feridos tiveram alta e dois foram transferidos para o Hospital de São José, em Lisboa, para observação em cirurgia.

Fonte do Hospital de Abrantes indicou à Lusa que o único ferido que se encontra internado naquela unidade hospitalar na ortopedia é um homem e o seu quadro clínico é estável.

As três pessoas que estão internadas no Hospital de São José, em Lisboa, estão estáveis, disse à Lusa fonte daquela unidade hospitalar.

De acordo com a mesma fonte, deram entrada naquele hospital, na sequência do despiste do autocarro, dois homens e uma mulher.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG