Mortes na construção diminuíram em 2013

O sindicato da construção civil contabilizou, em 2013, 33 mortes no setor, menos 10 do que no ano anterior, e alertou hoje para um possível "aumento considerável" dos acidentes mortais em 2014 devido à aposta na reabilitação urbana.

Em conferência de imprensa no Porto, o presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro, alertou que o trabalho de reabilitação "tem características muito próprias", o que impõe "um plano de segurança adequado a cada tipo de imóvel", para que se evitem os acidentes.

Segundo Albano Ribeiro, em muitos dos prédios a reabilitar "não existe espaço para a colocação de uma grua", pelo que "muito do trabalho vai ser realizado manualmente e com recurso à utilização do 'guincho'".

"Assim, terá que ser feito um plano de segurança adequado a cada tipo de imóvel que irá ser intervencionado, tendo sempre presente, por exemplo, o escoramento das paredes laterais e das fachadas, além da necessária colocação de uma adequada sinalização para os transeuntes e automobilistas", sustentou.

Para o sindicato, "só com uma intervenção conjunta, em todo o país", dos vários parceiros sociais (Autoridade para as Condições no Trabalho (ACT), empresas e sindicato) - com a realização de ações pedagógicas alusivas à higiene, saúde e segurança nos locais de trabalho - será possível evitar o aumento de acidentes mortais no setor no próximo ano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG