Ministro quer técnicos a fazerem mais horas com menores em risco

Pedro Mota Soares quer técnicos a dedicar 3604 horas semanais aos processos de crianças em perigo. Só não explicou como.

Nas galerias da Assembleia da República, completas com técnicos das comissões de proteção de crianças e jovens em risco, ouviu-se o burburinho do espanto. Foi quando o ministro da Solidariedade, Pedro Mota Soares, propôs um aumento para as 3604 horas semanais de tempo exclusivamente dedicado pelos técnicos da Segurança Social afetos às comissões de proteção de crianças e jovens em risco (CPCJR). A proposta para o futuro, como disse, foi anunciada no debate de urgência sobre a falta de meios nas comissões de menores, que se realizou ontem à tarde a pedido do PS.

O caso de Bia, a criança de dois anos que terá sido assassinada pelo padrasto há uma semana e estava sinalizada pela comissão de Loures - sem que tenha havido intervenção - foi o rastilho para se descobrir um mundo de problemas nas CPCJR.

Leia mais no e-paper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG