Ministério quer investigar gastos em doentes com sida

O Ministério da Saúde vai averiguar os motivos por que há grandes diferenças nos gastos dos hospitais com os doentes com sida, anunciou hoje a ministra da Saúde.

O anúncio de Ana Jorge surgiu no seguimento de dados apresentados hoje pela Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida relativamente a hospitais que acompanham estes doentes. "Não faz muito sentido haver para a mesma patologia custos tão díspares", disse à agência Lusa Ana Jorge, à margem de um encontro, que está a decorrer em Lisboa, para debater o Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Infecção VIH/sida 2007-2010.

Ressalvando que muitos dos custos estão relacionados com opções terapêuticas e concentração de doentes, Ana Jorge defendeu: "É preciso fazer uma análise sobre que doentes estamos a tratar e como o estamos a fazer. Muitas vezes o que se vê é que os hospitais mais diferenciados com maior número de doentes têm custos inferiores", comentou.

Nesse sentido, anunciou, "o Ministério da Saúde e a Coordenação Nacional para a Infeção VIH/sida vão fazer uma análise do porquê da disparidade dos valores que se estão a gastar para tratar os mesmos doentes". Henrique Barros, coordenador nacional para a infeção VIH/sida disse, por seu turno, à Lusa que estes dados mostram a tendência no tratamento destes doentes nos últimos quatro anos: "E a tendência mantém-se, nomeadamente, no custo médio dos doentes (nove mil euros por ano)".


Mais Notícias

Outras Notícias GMG