Ministério da Saúde perdoa 43,3 milhões de euros em dívida de cinco hospitais

Ministério da saúde vai perdoar 43,3 milhões de euros de divida que cinco hospitais têm a fundo criado em 2008 que serviu pagar valores que estavam em atraso a fornecedores.

A medida, publicada hoje em Diário da República e que entra em vigor amanhã, vai abranger cinco unidades: Centro Hospitalar da Cova da Beira, Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, Centro Hospitalar Lisboa Norte e Unidade Local de Saúde do Alto Minho.

O capital a ser entregue a estes hospitais vai servir para liquidar os empréstimos que têm com o Fundo de Apoio ao Sistema de Pagamento (FASP) do Serviço Nacional de Saúde, criado em 2008 e que serviu para as unidades terem dinheiro para pagamentos de dividas em atraso a fornecedores.

"O Fundo concedeu empréstimos aos hospitais EPE que, num contexto de escassez de recursos, não procederam ao reembolso respetivo. Tendo em atenção que a situação financeira dos hospitais EPE, deve-dores líquidos do Fundo, não lhes permite reembolsar os empréstimos e respetivos juros que lhes foram concedidos pelo Fundo, proceder-se-á a aumentos de capital", refere o despacho conjunto das Secretarias de Estado do tesouro e da Saúde.

O Centro Hospitalar Cova da Beira é a unidade que vai receber mais dinheiro: 13,4 milhões de euros. Seguem-se a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (7,4 milhões de euros), o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (6 milhões), o Centro Hospitalar de Lisboa Norte (8,1 milhões) e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (8,4 milhões de euros).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG