Ministério apresenta segunda proposta do dia aos sindicatos

Segunda reunião do dia entre sindicatos e Ministério da Educação começou por volta das 16.00. Durante a manhã a tutela já deixou cair as vagas para o acesso ao 3º escalão, a obrigatoriedade da prova de ingresso, e a limitação de vagas para os professores classificados com muito bom e excelente. Mas sindicatos querem mais.

Naquela que seria a última reunião de negociações, o Ministério da Educação (ME) já apresentou algumas cedências, mas os sindicatos pediram mais e a tutela acabou por marcar uma segunda reunião, que ainda está a decorrer. Durante a manhã, Isabel Alçada deixou cair a primeira barreira na progressão da carreira. Ou seja, deixa de haver vagas para o acesso ao 3º escalão.

Fenprof e FNE exigem mais e querem que caia pelo menos mais uma barreira da progressão da carreira e a garantia de que os professores que não progridam por causa das vagas tenham prioridade no ano seguinte. Propostas que esperam ver confirmadas na segunda proposta do dia que a tutela está a apresentar. A segunda reunião de hoje começou por volta das 16.00.

A tutela já propõs que os professores avaliados com as classificações de muito bom e excelente não contem para o número de vagas a definir em cada escalão. Estes docente progridem automaticamente. A prova de ingresso também já não é obrigatória. Apenas os professores que começaram a leccionar este ano ou nos seguinte é que vão ser sujeitos a esta prova.

A segunda ronda de negociações forçou a Fenprof a mudar a localização da reunião do seu secretariado nacional. O encontro com os sindicatos representados pela Federação estava previsto para as 15.00, na sede da estrutura, mas acabou por ter lugar na sala de imprensa do ME.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG