Médico preso preventivamente por burla

Profissional passava receitas e atestados falsos a troco de dinheiro. No decorrer do processo foram detidos mais seis arguidos. Investigação foi desencadeada pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal.

A Polícia Judiciária (PJ), pela Unidade Nacional do Combate à Corrupção, deteve o médico que deste quinta-feira se encontra em prisão preventiva, contando com a colaboração com o MInistério da Saúde. Em causa "uma presumível falsificação de receituário, indevidamente comparticipado e pela emissão de atestados onde constavam falsas declarações clínicas", explicou fonte oficial da PJ, em comunicado.

"Por estas condutas eram exigidas contrapartidas em dinheiro, por vezes bastante elevadas"; acrescenta.

Mais Notícias