Marcelo tem "muita esperança" de que números de novembro confirmem défice de 2,5%

Presidente comenta as previsões divulgadas pelo FMI

O Presidente da República considerou hoje em Faro que os números da execução orçamental até outubro "são francamente bons" e disse ter "muita esperança" de que os números de novembro confirmem um valor aproximado do défice de 2,5%.

"Os números que são conhecidos de execução orçamental são francamente bons até outubro e eu tenho esperança, muita esperança, que os números que virão a ser conhecidos relativamente a novembro virão confirmar um valor que ande à volta dos 2,5% do défice", declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionado pelos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa comentava as previsões divulgadas hoje pelo FMI, que estima que a economia portuguesa cresça 1,3% este ano e no próximo, mostrando-se ligeiramente mais otimista do que o Governo para 2016, mas mais pessimista para 2017.

Falando à margem de uma visita a uma instituição, e questionado sobre se Portugal irá necessitar de mais austeridade, o Presidente da República explicou que os relatórios das instituições internacionais "vêm sempre um pouco atrasados", já que os números que vão ser conhecidos "são números que acabaram de ser apurados" e os relatórios estão feitos há mais de um mês e "têm que ser atualizados".

Num comunicado após a quinta missão de acompanhamento pós-programa de resgate a Portugal, que decorreu entre 29 de novembro e a passada quarta-feira, o FMI melhorou ligeiramente as previsões de crescimento económico, uma vez que, em outubro, quando divulgou as últimas estimativas previa que o Produto Interno Bruto (PIB) crescesse 1% em 2016 e 1,1% em 2017.

Agora, a equipa de missão liderada por Subir Lall antevê que a economia portuguesa cresça 1,3% em cada um dos anos, ligeiramente acima dos 1,2% previstos pelo Governo para 2016, mas abaixo dos 1,5% estimados para o próximo ano, segundo o Orçamento do Estado para 2017 (OE2017).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG