Manuel Pinho recebeu 180 mil euros de empresa apanhada no escândalo dos 'offshores'

O antigo ministro socialista consta da lista dos fluxos financeiros da ES Enterprise.

Manuel Pinho, ex-ministro da economia de José Sócrates, é um dos nomes que constam da lista de fluxos financeiros da Espírito Santo Enterprise (ES Entreprise), empresa referenciada nos Papéis do Panamá e que o Ministério Público investiga desde o final de 2014, avança a edição de hoje do jornal Público.

De acordo com o diário, a ES Entreprise - veículo sombra do GES/BES que servia para pagamentos a colaboradores ou a entidades terceiras - pagou cerca de 180 mil euros a Manuel Pinho. O valor, escreve o Público, poderá estar associado à atividade do economista no universo GES, onde trabalhou durante cerca de duas décadas, ocupando cargos executivos do mais alto nível, nomeadamente de administrador do BES.

Manuel Pinho esteve no grupo até 2005, ano em que assumiu o cargo de ministro da Economia de José Sócrates. Quando deixou o Governo, em 2009, Manuel Pinho regressou ao grupo, como vice-presidente da holding BES África.

Segundo o Público já havia noticiado em novembro de 2014, a ES Enterprise era usada pela família Espírito Santo como "saco azul", nomeadamente para fazer despesas não documentadas. Agora, a empresa surgiu associada à investigação dos Papéis do Panamá, um caso que teve origem numa fuga de informação da empresa de advogados Mossack Fonseca, a qual terá ajudado milhares de clientes de todo o mundo a montar empresas offshore.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG