Manifestação à porta da residência oficial de Passos

Enquanto o primeiro-ministro se preparava para dar, esta noite, uma entrevista à RTP, em São Bento havia protestos contra as medidas de austeridade recentemente anunciadas.

"E o roubado, não está a ser entrevistado?", lia-se num cartaz de um dos muitos manifestantes que marcaram presença frente à residência oficial de Passos Coelho, em São Bento, Lisboa. Os manifestantes gritam palavras de ordem como "25 de Abril sempre, fascismo nunca mais!" e "Os ladrões estão lá dentro e os polícias estão cá fora".

Vigiadas por um considerável aparato policial, os manifestantes, entre os quais a coordenadora da Federação de Sindicatos da Função Pública, Ana Avolila, e o líder da maior federação de professores, Mário Nogueira, estão confinados a uma distância de meia centena de metros da porta da residência oficial do primeiro-ministro.

O trânsito está cortado junto à residência de São Bento e na rua contígua.

O primeiro-ministro preparava-se para dar uma entrevista à RTP, agendada para as 21h00.

Um protesto que aconteceu ao mesmo tempo que António José Seguro, secretário geral do PS, anunciou que o partido iria votar contra o Orçamento de Estado 2013 e avançou a possibilidade de avançar com uma moção de censura ao Governo. "Nunca mas nunca serei cúmplice desta política do Governo. Decidi que o PS deve votar contra o Orçamento do Estado e vou apresentar essa proposta à Comissão Política Nacional do PS" (que reúne esta noite), declarou António José Seguro na sede nacional do PS.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG