Julgamento do homem que atirou cerveja a Jardim amanhã

O início do julgamento do homem que atirou uma cerveja ao presidente do Governo da Madeira, Alberto João Jardim, durante a Festa da Uva, em Machico, em 2012, está agendado para segunda-feira, no Tribunal de Santa Cruz.

O arguido, um motorista com 44 anos, é acusado pelo Ministério Público de um crime de ofensa à integridade física qualificada e outro de injúria agravada.

Segundo o despacho de acusação, os factos reportam-se a um incidente ocorrido a 02 de setembro de 2012, quando Alberto João Jardim participava na Festa da Uva, um programa promovido pela Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, no concelho de Machico.

O Ministério Público (MP) refere que no momento em que o governante "se encaminhava para o local onde iria discursar" o arguido arremessou "um copo de material plástico maleável", contendo cerveja, atingindo o presidente do executivo madeirense, que se constituiu assistente neste processo.

A acusação acrescenta que Jardim "sofreu dores e incómodos", considerando-se ainda "atingido na sua honra e consideração pessoal e profissional".

O MP recusou imputar ao arguido o crime de perturbação do funcionamento de órgão constitucional.

Quando ouvido pelo MP, de acordo com fonte do Tribunal Judicial de Santa Cruz, o motorista "assumiu que estava embriagado, mas recusou fazer um teste de alcoolemia", tendo alegado que não teve "intenção de magoar" o líder madeirense, mas apenas "molhá-lo" para mostrar a sua "revolta" pela situação em que se encontrava -- no desemprego e com um filho a estudar na universidade.

Está também marcada uma segunda sessão na quarta-feira, 28 de maio.

AMB (SR) // ROC

Mais Notícias

Outras Notícias GMG