"Chegou a hora de aposentar Alberto João Jardim"

O cabeça de lista do Bloco de Esquerda às eleições legislativas regionais da Madeira disse hoje que chegou o momento de "aposentar compulsivamente" o presidente do Governo Regional da Madeira, o social-democrata Alberto João Jardim.

"Chegou a hora de aposentar compulsivamente Alberto João Jardim, que nos levou a um beco sem saída, que fez com que a região estivesse endividada até ao tutano, que fez com que os nossos filhos e os nossos netos estejam com o seu futuro endividado", afirmou Roberto Almada.

O candidato falava no Funchal na apresentação do cartaz e slogan da campanha bloquista às eleições de 09 de Outubro - "oposição sem medo" -, explicando que para a aposentação compulsiva do chefe do Executivo madeirense e, de novo, cabeça de lista social-democrata às regionais, "basta que o PSD perca a maioria absoluta, basta que perca dez deputados".

"Se o PSD perder apenas dez deputados, Alberto João Jardim é aposentado compulsivamente e teremos outro futuro na região que não passará, certamente, pelo aprofundamento da dívida", considerou Roberto Almada.

O responsável adiantou que o Bloco tem provado no Parlamento Regional que "tem sido uma oposição sem medo", pois "tem denunciado as atrocidades deste Governo", referindo que o slogan pretende transmitir à população que mais BE na Assembleia Legislativa da Madeira "são mais deputados da oposição sem medo, que não se calarão perante os desmandos deste regime".

Roberto Almada declarou que o BE "não terá medo de dizer a Alberto João Jardim que chega de desbaratar os recursos públicos, que chega de endividar a região até à quinta geração para construir marinas, para atirar milhões e milhões ao mar, para, efectivamente, fazer desta região aquilo que ela não é".

"É uma região que é bonita, que tem futuro, mas não é uma região cujos recursos não são infinitos", sublinhou o candidato.

Garantindo que o partido "não hesitará em propor, uma vez mais, uma auditoria à dívida da região para apurar eventuais situações de gastos fora da lei", Roberto Almada exige, ainda, no caso de existirem irregularidades, a assunção de responsabilidades.

"Se houve nestes últimos anos, de acordo com esta dívida monumental que temos, o desbaratar de recursos públicos de uma forma criminosa, os criminosos têm de ser chamados à liça", defendeu.

Nas últimas eleições regionais, o BE teve 2,98 por cento dos votos e conquistou um dos 47 lugares na Assembleia Legislativa Regional. O PSD, com 64,24 por cento, assegurou a eleição de 33 deputados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG