Lisboa vai ter escadas rolantes ao ar livre, funicular e elevador até ao Castelo

Troços vão ser instalados na Mouraria. Funicular até à Graça e elevador, dentro de edifício, entre o Campo das Cebolas e a Sé foram as restantes soluções aprovadas na câmara.

Três escadas rolantes ao ar livre na Mouraria, um elevador dentro de um edifício entre o Campo das Cebolas e o adro da Sé e um funicular da Rua dos Lagares até ao Miradouro Sophia de Mello Breyner Andresen, conhecido por Miradouro da Graça, são as três novas soluções de mobilidade que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) espera conseguir ter operacionais até meados do próximo ano. Não é certo que a sua utilização venha a ser gratuita.

Os estudos foram ontem aprovados por unanimidade em reunião pública do executivo municipal: ao todo, são três os equipamentos mecânicos que a autarquia pretende vir a instalar para melhorar a acessibilidade pedonal na colina do Castelo do São Jorge, onde funcionam já dois elevadores entre a Baixa e a Costa do Castelo - um num edifício da Rua dos Fanqueiros à Rua da Madalena e outro no antigo Mercado do Chão do Loureiro - e onde, até abril, começará a operar um outro, em Alfama e também no interior de um imóvel, que irá ligar a Rua Norberto Araújo ao Miradouro de Santa Luzia.

A solução é semelhante à que é proposta para chegar do Campo das Cebolas à Sé e que, tal como os restantes projetos, está, segundo o documento aprovado, condicionada à emissão de parecer favorável da Direção-Geral do Património Cultural. Como explicou durante a apresentação o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, o objetivo é que o elevador aproveite, num edifício, um beco sem saída que tem entrada pela Porta do Mar, perto da Rua da Alfândega, e que permita subir até às imediações do monumento. O desenho é da Pedro Matos Gameiro Arquitetos.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG