Linha Saúde 24 passa a fazer marcação de consultas e exames

Objetivo é a alargar a resposta aos utentes do Serviço Nacional de Saúde. São 30 milhões de euros para a Linha por quatro anos

A Linha de Saúde 24 vai passar a fazer marcação de consultas e de exames aos doentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Os dois novos serviços vão juntar-se aos outros que o centro de atendimento já presta, como prestar esclarecimentos e encaminhar, em caso de necessidade, os doentes para os centros de saúde ou hospitais. Aliás, os pacientes encaminhados para a urgência através da Linha estão, desde a aprovação do Orçamento de Estado, isentos do pagamento das taxas moderadoras e têm prioridade dentro no mesmo grau de gravidade.

A intenção de transformar a linha num centro de atendimento do SNS já tinha sido demonstrada. Em fevereiro, quando criou o grupo de trabalho para o centro de contactos do SNS, o Ministério da Saúde pediu que fosse analisada a possibilidade de se aumentarem os serviços prestados pela Linha, também na lógica do Simplex para a saúde e de melhoria de acessibilidade. Da lista fazia parte a marcação de consultas e exames complementares de diagnóstico no SNS e no setor convencionado, acompanhamento de doentes com determinadas doenças, adaptação do uso de telemedicina.

Para já o despacho aprovado em Conselho de Ministros e publicado ontem em Diário da República refere apenas a marcação de consultas e exames como os novos serviços a acrescentar. O mesmo documento estabelece o valor a pagar pelo ministério, através da Direção Geral da Saúde, à entidade que vencer o concurso para gestão da Linha: 30 milhões de euros, a que acresce o valor do IVA, distribuídos por quatro anos. A data para o concurso ainda não está definida.

A gestão da Linha tem estado a cargo de entidades privadas. O último concurso para encontrar novo gestor foi lançado no ano passado, mas no início de fevereiro acabou por ser revogado. Desde que foi criada têm surgido alguns problemas associados à gestão e aos concursos. Alguns serviços acabaram por ser suspensos, como o atendimento a idosos, e o apoio a fumadores - que se previa ser um seguimento - ficou-se apenas pelo encaminhado para centros de saúde com consultas. A Linha Saúde 24 recebe, em média, 2100 chamadas por dia.

Mais Notícias