Líder do BES/Angola suspeito de lavagem de dinheiro

Presidente do Banco Espírito Santo Angola (BESA), Álvaro Sobrinho, tem 18 milhões congelados em vários processos e foi na tarde de ontem constituído arguido num processo que envolve suspeitas de burla ao estado angolano.

O gestor foi interrogado no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, pelo juiz Carlos Alexandre, e será suspeito do crime de branqueamento de capitais.

Álvaro Sobrinho é representado pelo advogado Artur Marques.

Leia mais pormenores no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG