Ingleses vão avançar com "pedido de auxílio judiciário"

A Procuradoria-Geral da República (PGR) recebeu uma nota das autoridades britânicas, informando de que iria dar entrada um "pedido de auxílio judiciário", no caso do desaparecimento da criança inglesa Madeleine Mccann, em maio de 2007, no Algarve.

Na informação hoje à tarde prestada à Agência Lusa, a PGR sublinha que o pedido formal "ainda não deu entrada" na Procuradoria e que "quando tal acontecer, será analisado para efeitos de ser devidamente executado".

Antes, fonte da Polícia Judiciária (PJ) referiu à Lusa que qualquer diligência ou carta rogatória das autoridades britânicas que a PGR receba e remeta para esta polícia terá de obedecer à lei processual penal portuguesa, designadamente se implicarem eventuais detenções de suspeitos para interrogatório.

O jornal britânico "Daily Mirror" avança hoje que a polícia britânica prepara-se para efetuar detenções relacionadas com o desaparecimento de Madeleine McCann, apontando como suspeitos referenciados por furtos efetuados no aldeamento turístico da praia da Luz onde a menina inglesa desapareceu.

O jornal indica que os inspetores ingleses deverão viajar em breve para o Algarve para inquirir os suspeitos, que realizaram diversas chamadas telefónicas entre eles por altura do desaparecimento.

É dito ainda que foi enviado um pedido às autoridades portuguesas para que autorize a detenção do trio suspeito para inquirição.

A Scotland Yard saudou, em outubro de 2013, a reabertura pelas autoridades portuguesas do inquérito ao desaparecimento da criança inglesa Madeleine McCann, que decorrerá em paralelo, mas separado da investigação britânica.

O Ministério Público anunciou a reabertura do inquérito sobre o desaparecimento da criança inglesa Madeleine McCann, depois de a Polícia Judiciária ter apresentado novos elementos.

O processo estava arquivado desde 21 de Julho de 2008, quando foi levantada a condição de arguido aos pais da menor inglesa e a Robert Murat (britânico que residia no Algarve).

Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer quatro anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, num apartamento de um aldeamento turístico no Algarve, enquanto os pais jantavam com um grupo de amigos num restaurante próximo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG