IMT atuará se detetar deficiências nos centros de inspeção

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) vai analisar a informação da DECO que aponta falhas nos centros de inspeção automóvel e promete atuar caso sejam detetadas "deficiências", disse hoje à Lusa o presidente.

"Nós, IMT, recebemos o estudo [da DECO] apenas ontem [quarta-feira] já ao fim do dia, quase noite. Devido à grande credibilidade que a DECO nos merece, vamos estudá-lo com todo o cuidado", afirmou à Lusa o presidente do IMT, João Carvalho.

A DECO acusou 30 centros de inspeção automóvel de pôr em risco a segurança rodoviária, já que não detetaram vários problemas em viaturas preparadas de propósito, que a associação levou à inspeção.

O presidente do IMT disse que os dados divulgados pela DECO serão analisados "com bastante profundidade", "rapidez" e "cuidado", acrescentando que o instituto não tem recebido "queixas especiais".

João Carvalho sublinhou ainda que "a sociedade portuguesa pode estar completamente tranquila, porque o IMT vai dar toda a atenção ao acompanhamento deste relatório e, se apontar para deficiências", vai atuar.

A acusação da DECO é publicada na edição de novembro da revista Proteste, na sequência de uma ação de verificação do rigor dos Centros de Inspeção Obrigatória que levou a Deco a visitar, de modo anónimo, 30 unidades de inspeção de veículos.

Em reação a estes dados, o presidente da Associação Nacional de Centros de Inspeção (ANCIA) disse à Lusa acreditar que as entidades de inspeção são rigorosas e sublinhou que a fiscalização compete ao IMT.

"O sistema de inspeções de veículos em Portugal está a funcionar e contribui decisivamente para a segurança rodoviária ao assegurar que os veículos se encontram em condições para circular na via pública", afirmou Fernando Teixeira, em declarações à agência Lusa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG