Identificação da origem da carne de porco obrigatória

O Ministério da Agricultura esclareceu hoje que a partir de dezembro de 2014 passa a ser obrigatória a identificação da origem da carne de porco, uma reivindicação de um grupo de suinicultores que querem valorizar os produtos nacionais.

"No caso da carne de suíno, esta obrigatoriedade está já previsto no regulamento de informação ao consumidor, para entrar em vigor a partir de dezembro de 2014", revelou o Ministério da Agricultura, em resposta por escrito à agência Lusa.

A tutela adiantou ainda que tem vindo a defender a obrigatoriedade de indicação da origem na rotulagem, pelos menos, de produtos frescos ou com baixo grau de transformação "em todo o mercado comunitário" por considerar que tem "impacto na decisão de compra de produtos nacionais".

A questão tem vindo a ser discutida e defendida por Portugal no âmbito da revisão das normas de comercialização ao abrigo da Organização Comum do Mercado.

Um grupo de suinicultores está a movimentar-se para reivindicar a identificação da origem da carne de porco nos rótulos das embalagens como forma de valorizar os produtos nacionais e dar mais competitividade ao setor, à semelhança do que acontece com a carne de vaca.

Além de reuniões com suinicultores por todo o país, o grupo tem vindo a efetuar ações de sensibilização junto das grandes superfícies comerciais e tem agendada uma reunião para 5 de março no Ministério da Agricultura.

A produção nacional de carne de porco cobre metade das necessidades alimentares do país, colmatada com a importação de carne estrangeira oriunda em 98 por cento dos casos de Espanha, segundo a Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores, que está solidária com o movimento.

"A identificação da origem seria uma das formas de rentabilizar a nossa produção", frisou o secretário-geral da federação António Simões Monteiro.

Segundo a federação, em 1994 a produção nacional assegurava 96% do consumo, mas o setor veio a perder competitividade com o encerramento de milhares de explorações.

Desde 2008 que os suinicultores têm vindo a perder rentabilidade. Em 2010, a média do custo de produção era de 1,80 euros por quilo, enquanto a do preço de venda da carne ficava nos 1,45 euros por quilo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG