Governo quer aposta na escola pública "plasmada em números" no Orçamento de 2017

Alexandra Leitão afirmou que o executivo liderado por António Costa pretende "fazer da escola pública algo ainda melhor do que ela já é"

A aposta do Governo na qualidade da escola pública deverá ser "plasmada em números" no Orçamento do Estado (OE) de 2017, disse esta segunda-feira a secretária de Estado adjunta e da Educação, Alexandra Leitão.

Num encontro de profissionais da Educação para assinalar o início do ano escolar na Lousã, distrito de Coimbra, na quinta-feira, Alexandra Leitão afirmou que o executivo liderado por António Costa pretende "fazer da escola pública algo ainda melhor do que ela já é".

A secretária de Estado reiterou o empenho do Governo para que o Orçamento de Estado do próximo ano venha a traduzir "uma opção consequente" de investimento na escola pública, apesar de subsistirem ainda algumas restrições financeiras.

Na sua opinião, o arranque das atividades escolares "vai correr bem" e existem condições para que o novo ano letivo corresponda a "uma mudança saudável que já foi começada" após o executivo do PS, apoiado por toda a esquerda parlamentar, ter iniciado funções em finais de 2015.

A governante intervinha na abertura das Jornadas de Educação e Formação "Lousã, Território Educativo", uma iniciativa da Câmara Municipal, Agrupamento de Escolas da Lousã e Centro de Formação de Associação de Escolas Nova Ágora, que decorre no Cine Teatro até ao fim da tarde de hoje.

"De forma clara e abrangente", a autarquia tem "dedicado muita da sua atenção" à Educação, com um investimento anual superior a um milhão de euros, enfatizou o presidente da Câmara, Luís Antunes.

"Além dos apoios tradicionais (...), complementámos a medida do Governo e oferecemos os manuais escolares a todos os alunos do segundo, terceiro e quarto anos e o material escolar aos alunos dos mesmos anos abrangidos pela ação social escolar", um reforço de investimento de mais de 50 mil euros, exemplificou o autarca.

"Estamos igualmente interessados em poder contribuir para a concretização de um plano de promoção do sucesso escolar" no concelho da Lousã, referiu o autarca do PS.

Luís Antunes enfatizou o contributo da secretária de Estado Alexandra Leitão para que fossem criadas três turmas na Escola Profissional da Lousã (EPL), uma entidade de direito privado fundada nos anos 90 do século passado e em cuja composição acionista o município participa na segunda posição.

"Projeto Educativo da Escola Profissional da Lousã -- A especialização e a complementaridade numa lógica supramunicipal" é o tema de uma comunicação apresentada durante a tarde pela empresária Patrícia Duarte, da administração da Escola Profissional da Lousã.

O programa incluiu outras apresentações por investigadores da Universidade de Coimbra (UC, Luís Alcoforado, António Rochette e Mafalda Frias) e da Universidade de Évora (Adelinda Araújo Candeias), docentes do Agrupamento de Escolas da Lousã.

Os trabalhos encerram com a participação de Rui Gama, António Rochette e Cristina Barros, da UC, que apresentam o "Projeto estratégico de educação e formação no quadro do planeamento estratégico do território da Lousã".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG