Governo está a "tapar o sol com uma peneira"

A Comissão de Utentes da Via do Infante (A22) acusou hoje o Governo de "tapar o sol com a peneira" ao impor um regime de descontos que é "bem pior" do que o que vigorava até hoje.

"A montanha pariu um rato", ironizou João Vasconcelos, da Comissão de Utentes da A22, descontente com o desconto hoje anunciado pelo Governo.

O Ministério da Economia anunciou este domingo que, a partir de segunda-feira, haverá uma baixa de preços de 15% em todas as antigas vias Sem Custos para os Utilizadores (Scut) do país, independentemente de se tratar de residentes ou não residentes e do número de passagens.

Hoje é o último dia do atual regime de isenções para residentes, que implica a gratuitidade nas primeiras 10 passagens de cada mês para cidadãos moradores nas zonas das ex-Scut.

Em reação, João Vasconcelos sustentou que, apesar do desconto, a partir de hoje a situação "agravar-se-á dramaticamente, porque irá ser muito mais penalizadora para os residentes e as pessoas que trabalham aqui [no Algarve]".

Acusou o Governo de "tapar o sol com a peneira, distribuindo os descontos a toda a gente e evitando penalizações por parte da Comissão Europeia".

Lamentou que a partir desta segunda-feira se vá "assistir a uma Via do Infante cada vez mais deserta", devido às dificuldades crescentes por parte da população e assegurou que também as empresas "não vão aguentar".

João Vasconcelos apontou a luta contra a abolição total de portagens como o caminho a seguir e recordou que a Comissão de Utentes leva a cabo segunda-feira uma nova vigília contra as portagens, em Faro.

Em causa está o fim das isenções para as primeiras dez passagens mensais e descontos de 15% nas portagens para os utilizadores e empresas residentes abrangidos por sete SCUT -- Costa da Prata, Grande Porto, Norte Litoral, Algarve, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Interior Norte.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG