Funeral de bombeiro Daniel Falcão é hoje às 09.00

Realiza-se esta manhã o funeral de Daniel Falcão, o jovem bombeiro de 25 anos, da corporação de Miranda do Douro, que faleceu sexta-feira ao início da noite. As cerimónias irão decorrer na freguesia de Póvoa.

Recorde-se que Daniel Falcão é o oitavo bombeiro a perder a vida este ano, no decurso do combate às chamas. O jovem de Miranda do Douro estava internado desde 1 de agosto no Hospital da Prelada, no Porto, mas ao final da tarde de sexta-feira entrou em falência multiorgânica e acabou por não resistir às queimaduras de segundo e terceiro grau em cerca de 70 a 80% do corpo.

De acordo com informação veiculada pela corporação através da sua página no Facebook, o corpo de Daniel Falcão está a ser velado no quartel da corporação. O funeral irá realizar-se na freguesia de Póvoa, concelho de Miranda do Douro, de onde são originários os pais do jovem.

A primeira morte deste ano afetou precisamente a corporação transmontana. A 4 de agosto, António Ferreira, 45 anos, operador de central dos Bombeiros de Miranda do Douro, faleceu também na Prelada. António e Daniel tinham ficado feridos no primeiro dia de agosto, num incêndio em Miranda do Douro. Os bombeiros foram surpreendidos pela mudança brusca de vento ficando presos no fogo na região de São Martinho de Angeira.

A 15 de agosto, na Covilhã, Pedro Miguel Rodrigues perdia a vida aos 40 anos em Peso, quando combatia as chamas que ameaçavam algumas habitações daquela localidade.

Uma semana depois, dia 22, os bombeiros de Alcabideche sofrem uma perda no combate às chamas. Ana Rita Pereira, de 24 anos, fazia parte de um grupo de elite de combate aos fogos, o Grupo de Reforço de Incêndios Florestais (GRIF), que combatia as chamas na Serra do Caramulo quando ficaram cercados pelo fogo.

Neste incidente nove bombeiros ficaram feridos, um deles com gravidade, da corporação do Estoril. Bernardo Figueiredo, de 23 anos, acabaria por não resistir aos ferimentos e acabou por falecer a 27 de agosto.

Apenas dois dias depois, as chamas voltavam a revelar-se fatais. Durante o combate a um novo incêndio florestal na serra do Caramulo, no concelho de Tondela, uma jovem de 21 anos, da corporação de Carregal do Sal. Cátia Dias, bombeira há três anos, foi uma das duas vítimas de mais uma traição das chamas.

A 3 de setembro, vítima do mesmo acidente que roubou a vida a Cátia Dias, Bernardo Cardoso, de 18 anos, também da corporação de Carregal do Sal, morria ao início da noite no Hospital da Prelada. O jovem tinha ficado com queimaduras em 55% do corpo.

A primeira semana deste mês viria a revelar-se fatal para mais dois Soldados da Paz. Fernando Rei, de 50 anos, pertencia à corporação de Valença e estava internado no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra com 19% da superfície corporal queimada depois de, a 29 de agosto, o Veículo Florestal de Combate a Incêndios que conduzia ter sido atingido pelas chamas que fustigavam a freguesia de Sanfins, em Valença.

A oitava morte deste ano acabaria por se registar sexta à noite. Daniel Falcão, dos Voluntários de Miranda do Douro, estava internado desde 1 de agosto, quando combatia as chamas no seu concelho.

Daniel Falcão integrava a corporação há uma década e estudava Engenharia Civil no Instituto Politécnico de Bragança. Com 25 anos, tinha casamento marcado para o início deste mês.

Recorde-se que na Unidade de Queimados do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra estão ainda internados dois outros bombeiros, ambos com prognóstico reservado.

Um bombeiro, de Bragança, tem 45 anos e apresenta 26% da superfície corporal queimada, com queimaduras ao nível da extremidade cefálica, membros superiores e inferiores. O outro bombeiro, de Vila Nova de Foz Côa, tem 62 anos e apresenta 17% da superfície corporal queimada, em especial na face, mãos e membros inferiores.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG