Fraude em medicamentos e exames de 39 milhões

O ministro da Saúde revelou hoje que existem 39 milhões de euros relacionados com medicamentos e exames que estão a ser analisados no âmbito das ações de combate à fraude no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Paulo Macedo respondia à deputada do CDS-PP Teresa Caeiro, que questionou o ministro sobre os valores reais da fraude no SNS, um dia após a apresentação dos resultados das ações desenvolvidas nesta área, em conjunto com o Ministério da Justiça.

Perante os deputados da Comissão Parlamentar de Saúde, onde está a ser ouvido, o ministro disse que existem cerca de 25 milhões de euros que estão a ser analisados e que dizem respeito aos últimos 12 meses e que foi comunicado à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) um montante de 14 milhões de euros.

A estes valores acrescem cerca de 39 milhões de euros, referentes a medicamentos (15 milhões de euros) e a Meios Complementares de Diagnóstico e Tratamento (23 milhões de euros).

Segundo Paulo Macedo, no total, os valores suspeitos e que estão a ser analisados no âmbito do combate à fraude no SNS são "bastante superiores a 100 milhões de euros".

Na terça-feira foi divulgado que a cooperação entre os ministérios da Saúde e da Justiça permitiu no último ano a detenção de 34 pessoas por suspeita de envolvimento em fraudes na saúde, que custaram ao Estado 25 milhões de euros.

Numa cerimónia que decorreu no Ministério da Justiça o ministro Paulo Macedo revelou que a unidade que o Ministério da Saúde criou há menos de um ano para detetar casos suspeitos de fraudes sinalizou e comunicou às entidades competentes 80 casos, representando mais de 82,5 milhões de euros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG